João Lourenço inaugurou parque tecnológico de 58 milhões de euros da Huawei em Luanda

6

A tecnológica chinesa Huawei investiu mais de 58 milhões de euros (60 milhões de dólares) num parque tecnológico, que vai formar 10 mil angolanos e dispõe de centros de inovação e tecnologias avançadas, esta segunda-feira inaugurado pelo Presidente angolano, João Lourenço.

O parque tecnológico da Huawei Technologies em Luanda é o terceiro em África, depois do Egito e da África do Sul.

O embaixador chinês em Luanda, Gong Tao, que interveio após a visita do chefe do executivo angolano às novas instalações da multinacional, sublinhou que a Huawei atribui grande importância às suas responsabilidades sociais e à promoção do conhecimento tecnológico.

“Este investimento visa promover o desenvolvimento inovador, transformação digital e crescimento dos talentos de Tecnologias de Informação e Comunicação em Angola”, disse o diplomata chinês, reforçando que China e Angola são como “irmãos e bons amigos” que se ajudam.

Acrescentou que os dois países querem acelerar o alinhamento das estratégias de desenvolvimento e aprofundar a cooperação no domínio da tecnologia, economia digital, e formação de recursos humanos.

O parque tecnológico vai assegurar a formação de mais de 10 mil angolanos, bem como docentes de cursos técnicos e tecnológicos de universidades angolanas, até 2027.

Além do centro de formação, o parque tecnológico dispõe de um centro de inovação para as novas tecnologias e um outro para experiências tecnológicas avançadas, segundo a agência angolana de notícias, Angop.

O parque tecnológico possui também um Centro de Dados e Soluções de Telefonia 3G, 4G e 5G e para painéis solares destinados a habitação e empresas, criando 120 postos de trabalho, maioritariamente para angolanos.

O complexo conta com ainda com quatro salas de formação com 32 lugares cada uma, três edifícios residenciais para 180 funcionários, refeitório para cem pessoas e um campo de jogos de salão.

Artigo anteriorAngola: Exportação de gás já vale 9% da receita fiscal petrolífera
Próximo artigoExecutivo vai continuar a apostar na modernização das infra-estruturas